Soja

Estiagem na Argentina prejudica lavouras de soja e milho

Seca afeta o país já faz alguns meses

A Argentina pode ter quebra no agronegócio devido a seca que atinge o país. Infelizmente a falta de chuva afetou o desenvolvimento da soja e do milho e muitos produtores se encontram em uma situação vulnerável.

Imagine o que isso significa para a economia do país, já que a Argentina é o terceiro maior produtor de soja do mundo e está enfrentando uma das piores secas de sua história! E para prior, não há  indicativo de mudanças significativas no clima. E essa não é uma boa notícia para um governo que vem enfrentando situações difíceis para equilibrar a inflação e o quadro fiscal. 

E claro, os efeitos dessas condições já vão além dos problemas causados no campo e já sinalizam efeitos também na economia argentina.  Logo, essa situação deixa os produtores muito preocupados. Muitos deles trabalham com terras arrendadas, fizeram financiamento em bancos, tem contas a pagar e se não houver uma boa colheita, eles esperam alguma ajuda do governo.

Quebra na safra pode chegar a 31%

Em entrevista para os meios de comunicação, o secretário nacional de Agricultura, Pecuária e Pesca da Argentina, Guillermo Bernaudo já deu previsões nada animadoras sobre o agronegócio na Argentina. Ele diz que enquanto a colheita não terminar, o governo trabalha com uma estimativa de uma quebra na safra de 18%, mas que pode chegar a 31%. E que o ministério já preparou um pacote de medidas pra ajudar os produtores atingidos pela seca.

Conforme o secretário, será realizado um plano de emergência para os produtores. Deve haver uma redução no valor dos impostos, um prazo maior para o pagamento e também um desconto no valor dos financiamentos feitos nos bancos estatais. Isso já vai ajudar os produtores que se encontram em uma situação delicada.

A Argentina é o terceiro exportador mundial de milho e soja, e com relação a essa seca, nem o seguro ajuda. Isso porque no país, o seguro rural é muito limitado. Cobre apenas danos causados por granizo.

A região afetada pela seca é conhecida como pampa úmida, onde produtores plantam em milhões de hectares de terras férteis e produtivas. Mas que infelizmente nos últimos meses sofre com a estiagem.

Que o cenário possa favorecer os produtores argentinos, e que a chuva esperada melhore as perspectivas de colheita.

Tags

Artigos relacionados