Notícias

No Rio Grande do Sul colheita de arroz atinge 30%

Emater (RS) divulgou relatório

O tempo bom nas últimas semanas favoreceu a colheita de arroz no Estado do Rio Grande do Sul. A fronteira oeste encontra-se como a região que está na frente. As informações foram repassadas pelo boletim semanal da Emater (RS). Em comparação com o estado vizinho, Santa Catarina, ele está atrasado, já que por lá no início de fevereiro já haviam sido colhidos 40% de arroz.

Infelizmente a comercialização de arroz em casca no Rio Grande do Sul segue enfraquecida neste início de março, segundo afirmam pesquisadores do Cepea. Atualmente, o preço pago pelo saco de 50kg de arroz é de R$ 34, porém, o custo de produção é de R$ 45. Portanto, o produtor gaúcho está pagando cerca de R$ 10 para produzir o grão. Ou seja, o preço que é ofertado não cobre nem os custos de produção e para piorar ainda mais a situação há uma concorrência desleal com o Paraguai.

Em entrevista para o G1, Presidente da Associação dos Arrozeiros de Uruguaiana e Barra do Quaraí, Roberto Fagundes Ghigno já havia comentado que o preço teve um declínio de 30% de 2017 para 2018.

“O custo de produção da lavoura é bem acima disso. Estamos falando de uma média, cada um tem seu custo um pouco diferenciado. Mas a média do custo de produção está além disso. Teríamos que falar em torno de R$ 7 por saco de prejuízo hoje”.

Soja: 20% colhidos no Rio Grande do Sul

Mas para o mercado da soja as notícias são mais positivas e os produtores já estão mais otimistas. E de acordo com o Informativo divulgado pela Emater/RS-Ascar, dia 29/03, as primeiras áreas colhidas vêm apresentando rendimentos dentro das expectativas e variando a cada região analisada.

Os produtores de arroz só não se sentem tão desanimados porque muitos deles também cultivam soja, e isso consequentemente colabora para a situação dos orizicultores. Lembrando que os orizicultores gaúchos são responsáveis por 70% da produção nacional.

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Tags

Artigos relacionados